sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Rio de Janeiro

Hoje o meu post é para falar de um dos cartões postais aqui do Brasil.

Bom, como da vez do Belo Horizonte, fui para Rio de Janeiro por conta de um congresso (especificamente de Ortóptica). Mas desta vez, não resisti para fazer um graaaande passeio turístico. Congresso que é bom, só aproveitei um único dia = o dia da minha apresentação! rs. 
O fato é que estava indo com uma galerinha conhecida, mas a Celina e a Pri (minhas ex-professoras e orientadoras de estágio) estavam ocupadas com a organização do congresso e por isso nem consegui chamar o pessoal para o meu passeio planejado. 
Confesso que a minha aventura estava apenas começando. 
Quando cheguei no Rio, me lembro bem que estava um calor infernal. Mas um calor tão tão tão grande que a minha idéia de entrar no mar estava mais do que certa. E esse desejo se vingou com surpresas inesperadas. Estava no bairro de botafogo e a praia ficava de frente para o meu hotel. Logo, mais afobado do que nunca, peguei o meu traje de banho e corri em direção ao imensidão azul saciando a vontade do meu corpo de encontro com a água gelada. Foi então que o inesperado aconteceu: fui abordado por um grupo de espanhóis que estavam perdidos, querendo saber a localização da praia de copacabana. Bom, até aí...nada de mais. Eu apenas não compreendia muito bem a linguagem rápida e não usual para os meus ouvidos. Não teve outro jeito. A melhor forma de me comunicar foi com a linguagem universal: inglês. Foi então que durante a prosa, dois rapazes (na  verdade, um rapaz e meio - pq o outro ainda era uma criança) nos abordaram e viramos um projeto de assalto. Sim...eu disse PROJETO, pois foi frustrante para eles. 
Com vocabulários e o dialeto característico dos assaltantes do tipo "mano", o rapaz nos abordou pedindo dinheiro e ameaçando de morte, como de praxe. O problema é que o rapaz estava apenas de sunga e provavelmente se ele fosse nos matar, seria a base de porrada...Enfim, a história se resume da seguinte forma: os espanhóis não estavam entendendo que nós estávamos sendo assaltados e literalmente, tive que fazer uma tradução simultânea para ambos os lados. Agora...imaginem a minha cara de "meu, a gente é um bando de idiotas e não sei porque estou traduzindo para ambas as partes". Mas os espanhóis tinham sangue quente e quase saiu briga. O fato mais engraçado foi quando a criança falou "tio, vamos embora! Eu tô com fome e eles não vão dar dinheiro". Me segurei para não rir, pois foi um argumento totalmente inapropriado para uma situação pseudo-tensa. Final da história: os assaltantes foram embora e voltei pra hotel me recuperar da situação decorrida.
Rezando para não passar mais por fortes emoções, fiz um roteiro dos lugares para visitar e confesso que AMEI as paisagens naturais do lugar.


Uma das paisagens vista do Pão de Açúcar
Cristo Redentor


Pão de Açúcar, Corcovado, a praia de Copacabana e o seu histórico forte, Ipanema, o imenso jardim botânico, morro de Santa Teresa, museus, ingrejas e a vida noturna de Rio de Janeiro (*...). Fantástico. Curtir o ultimo dia com a Celina e sair a noite com o pessoal...não tem preço! (*oi?) hauhauhaua.


Ah, alguns comentários importantes: a cidade possui transportes bem acessíveis. Muitos táxis rodando pela cidade (mas muitos mesmo!!!!), ônibus e metro. Entretanto...CUIDADO! Pegar metro no horário de pico eh FODA.  Pior ou igual ao estação da Sé aqui de São Paulo. Detalhe...existe o lado certo da saída para cada estação! (pois é...eu desci do lado errado e com muita má vontade o funcionário local fez a "gentileza" de me levar até a saída por uma passagem interna). E tem um vagão exclusivamente para mulheres (eu não sabia e quase fui estrangulado por um segurança ali do metro).


Enfim, termino mais um post já que este está virando uma bíblia-like.  E fica a minha dica novamente! ;)


2 comentários:

  1. puxa vc omitiu a parte da baladinha com a celina..rsrs

    ResponderExcluir
  2. HAuhauahau. E para quem ficou curioso...pergunte a ela! kkkkkk.

    ResponderExcluir